Vá de Cultura
Publicidade

Primeira biografia a resgatar a história da maior espiã da Segunda Guerra Mundial chega ao Brasil

Primeira biografia a resgatar a história da maior espiã da Segunda Guerra Mundial chega ao Brasil
express.co.uk
Publicidade

Virginia Hall poderia ter escolhido uma vida em segurança ao lado da família nos EUA, mas ao acompanhar a onda nacionalista tomar conta da Europa e Adolf Hitler ascender na Alemanha, ela encontrou seu lugar na luta contra o nazismo atuando como espiã do Ministério da Guerra britânico e, posteriormente, dos Estados Unidos. A mulher civil mais condecorada da Segunda Guerra permaneceu um enigma no período e por um longo tempo depois. Após três anos de muito trabalho para rastrear informações, Sonia Purnell integra o grupo de autoras interessadas no resgate de mulheres fundamentais para a historiografia e lança “Uma mulher sem importância”, biografia narrada como um thriller de ficção.

Filha de um banqueiro americano e muito aventureira, Virginia perdeu parte da perna esquerda enquanto caçava pássaros com amigos, ao cair de uma cerca e acidentalmente atirar à queima-roupa no próprio pé. A prótese de madeira foi um impeditivo ainda maior na realização do sonho de se tornar diplomata, à época uma tarefa masculina, mas não na excelência do trabalho como espiã. Ela começou dirigindo ambulâncias na França no início da guerra e mais tarde treinaria células de resistência para sabotagens de guerrilha, como explodir pontes e até mesmo descarrilar um trem de carga. A espiã ajudaria ainda a preparar o terreno para que as forças aliadas invadissem a Normandia e a Provença.

Como líder de guerrilha, Virginia foi uma personagem decisiva no rumo da espionagem e no ponto de vista em relação às mulheres na guerra – além do curso que a luta tomaria na França. “Ela ajudou a inaugurar um papel audacioso de espionagem, sabotagem e subversão por trás de linhas inimigas em uma era em que as mulheres mal apareciam no prisma de heroísmo, quando sua participação em combates se limitava a uma função paliativa, de apoio. Quando se esperava que elas apenas parecessem bonitas e agissem com obediência, deixando os homens fazerem o serviço pesado”, conta Sonia Purnell.

Eleito um dos melhores livros de 2019 nas categorias Biografia, Memórias e Livros de História pela Amazon, “Uma mulher sem importância” será adaptado para o cinema pela Paramount Pictures, estrelando a atriz Daisy Ridly (Star Wars), mas ainda sem previsão para o lançamento.

Sobre a autora

Sonia Purnell é uma jornalista inglesa de prestígio, tendo trabalhado na revista The Economist e nos jornais The Telegraph e The Sunday Times. Nos últimos anos, vem se dedicando à carreira de biógrafa. Seu livro Clementine: the life of Mrs Winston Churchill foi um best-seller, assim como sua primeira obra, Just Boris, sobre o primeiro-ministro inglês Boris Johnson. Ela mora em Londres com o marido e dois filhos.

Ficha técnica

Título: Uma mulher sem importância

Autor: Sonia Purnell

Tradução: Petê Rissatti

416 páginas

R$ 72,90

Não ficção

Redação

Publicidade
Publicidade
/* ]]> */