Paulista terá dois novos mirantes com área para ciclistas e espaço gastronômico

0
460

A partir do próximo dia 23, a Avenida Paulista, um dos mais relevantes pontos da cidade de São Paulo, receberá dois novos mirantes. Um deles, o mirante do Pacaembu, será fixado na praça dos Arcos (praça Marechal Cordeiro de Farias), e contará com uma área gastronômica e um bicicletário. O outro, o mirante Nove de Julho, terá vista para a avenida de mesmo nome, e contará com um restaurante e um café. Estes espaços de convivência também serão palco de atrações culturais.

A inauguração dos mirantes acontecerá em conjunto com a abertura do novo trecho da ciclovia da Paulista, que em junho, recebeu quase três quilômetros da faixa exclusiva para ciclistas em seu canteiro central.

Segundo o prefeito da cidade de São Paulo, Fernando Haddad, a ação faz parte da recuperação de espaços que não estavam sendo aproveitados, e por essa razão, serviam de concentração para moradores de rua.

Tínhamos alguns mirantes que estavam abandonados. Fizemos uma concessão para a exploração desses espaços para a área de cultura, gastronomia e apoio ao ciclista com a instalação de bicicletários. Isso vai dar uma cara nova para a região da cidade cada vez mais demandada pelo cidadão.”, afirmou o prefeito Fernando Haddad, durante a assinatura  da cessão de um terreno em Itaquera, na zona leste, para construção de um complexo cultural.

Com o aumento da demanda por lazer na região central de São Paulo, diversas vias têm sido fechadas para circulação de veículos aos finais de semana. É o caso do Elevado Costa e Silva, vulgo Minhocão, e da própria Avenida Paulista, fechada pela primeira vez em 28 de junho. No caso do Minhocão, a circulação de automóveis nos finais de semana está vetada desde o dia 11 de julho. A via é fechada aos sábados à partir das 15h, e reabre às segundas-feiras às 6h30.

No próximo dia 23, data da inauguração dos mirantes, a Avenida Paulista será fechada pela segunda vez. A ação seria um teste da Prefeitura para que, futuramente, a ação ocorra numa periodicidade constante.

A demanda por lazer aos domingos é cada vez maior na cidade, e não podemos só abrir os parques. Temos que fazer as pessoas se apropriarem do espaço público também. Então o que é comum hoje no mundo – isso vale para Paris, vale para Nova York – é abrir as vias para que os pedestres, os cidadãos possam usufruir da cidade.”, finalizou Haddad.

 

Gostou deste artigo? Deixe um comentário!