Exposição retrata descaso e abandono dos casarões de Santos

0
6

A exposição “trezeMARIAS”, de Vanessa Rodrigues fala de envelhecimento, sonhos e esquecimento por meio de imagens lambe-lambe e áudios em treze fachadas de cortiços localizados na rua Amador Bueno, no Centro de Santos, entre a rua da Constituição e o cemitério do Paquetá.

“A câmera fotográfica é minha companheira de andanças diárias e a fotografia sempre aproximou-me de acontecimentos e por meio dela, comunico e troco experiências. Entre estas caminhadas, conheci as Marias em 2007 durante a graduação em Jornalismo”.

Mais de 14 mil pessoas vivem nos cortiços de Santos, mais de 1 mil são mulheres acima de 60 anos. Treze delas são as Marias.

As Marias, que represento nesse trabalho, são moradoras de casarões erguidos no fim do século XIX, durante o ciclo áureo do café em Santos. Estes lugares fazem parte da construção da memória visual da cidade. Além da arquitetura, estas moradias carregam, na imagem crítica, as histórias e o tempo-espaço de mulheres com mais de 60 anos, que vivem em um mundo atrás das fachadas, portas e janelas. Esquecidas pelo ritmo acelerado de uma cidade que avançou para o mar e deixou, para trás, sonhos de treze mulheres,que são pessoas importantes e precisam ser ouvidas.

O projeto autoral trezeMARIAS narra a história, o feminismo e os sonhos dessas mulheres que buscam um lar próprio e salubre. Para representá-las e dar voz a essas mulheres, será realizada a intervenção urbana trezeMARIAS. Lambe-lambes e áudios serão instalados em treze fachadas de cortiços, que se encontram abandonados ou fechados, na rua Amador Bueno, no centro da cidade, entre a rua da Constituição e o cemitério do Paquetá

A ação de transformação tem objetivo de dialogar com a cidade, aproximar o olhar das pessoas e fazer com que elas possam experimentar algo para que desperte a mudança neste local. Além de comunicar a visão contemporânea do mundo, a intervenção urbana revela a beleza e a história deste lugar que faz parte do cotidiano da cidade.

A série resignificada observa a preocupação sobre o envelhecimento destas mulheres – a maioria vive sozinha e de forma independente nos cortiços de Santos, localizados nos bairros do Centro, Paquetá e Vila Nova.

O trabalho faz parte da pesquisa em poética visual da Pós em Fotografia pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP)

As obras estão em exposição desde o dia 25 de novembro, na Catedral de Santos, e na a data prevista para o fim da mostra

Gostou deste artigo? Deixe um comentário!