Carne Vale, O Imaginário Carnavalesco na Cultura Brasileira no SESI

0
39

O SESI-SP apresenta de 27 de outubro de 2015 a 31 de janeiro de 2016, em sua Galeria de Arte, a exposição Carne Vale – O Imaginário Carnavalesco na Cultura Brasileira. A mostra tem curadoria de Roberto Moreira S. Cruz e reúne ilustrações, fotografias, vídeos e objetos que constroem um mosaico multifacetado da festa popular mais conhecida do Brasil sob um olhar particular.

São muitos carnavais contados aqui, a partir de escolhas pessoais e subjetivas Uma espiral de relações que circunscreve um panorama caleidoscópico de representações, sonoridades, imagens e alegorias resgatadas das lembranças efêmeras dos fevereiros de cada um de nós”, afirma o curador.

Dividida em cinco núcleos temáticos, Carne Vale percorre um longo caminho pelo imaginário carnavalesco, desbravando a diversidade, a criatividade e a riqueza cultural desta manifestação popular. Parte do final do século XVIII, com desenhos do luso-italiano Carlos Julião que retratou os diferentes tipos raciais e sociais do império português, até chegar à contemporaneidade de artistas como Lygia Pape e Hélio Oiticica.

Em Rito e Expressão, o enredo se inicia nas ruas dos tempos coloniais, ornadas e coloridas para a passagem de cortejos religiosos e profanos. Jean Batiste Debret e Johann Maurice Rugendas deixaram registradas suas impressões desses ritos festivos em gravuras das décadas de 1920 e 1930, que serão vistas neste bloco ao lado de trabalhos de artistas como Eder Santos e Willi de Carvalho.

No princípio do século XX e do Brasil republicano, o carnaval está nas colunas sociais, nas ilustrações, nas charges, nos contos e nas propagandas das revistas semanais. No núcleo A Doce Ilusão, exemplares de publicações como Fon Fon, O Malho e Para Todos são expostos com ilustrações de Fulvio Penacchi e estereoscopias de Guilherme Santos.

A terceira parte da mostra, Festa do Povo, destaca a percepção de dois grandes fotógrafos franceses radicados no Brasil, Pierre Verger e Marcel Gautherot, sobre o carnaval no Rio de Janeiro, em Recife e em Salvador, em meados do século XX.

Em Oficinas do Sonho será reapresentada uma seleção de fotos do trabalho do carnavalesco Joãosinho Trinta, feitas por Valtemir Valle, ex-chefe de barracão da escola de samba Beija-Flor, que foram expostas no Museu de Arte Contemporânea de São Paulo (MAC-USP), em 1993, pela antropóloga Maria Lucia Montes. O longa-metragem Samba da Criação do Mundo (1979), de Vera Figueiredo, também integra o núcleo.

Carnavalizando aborda obras de artistas brasileiros contemporâneos em que a carnavalização do cotidiano – ou a subversão das regras e padrões sociais e morais – se faz presente em seus temas ou processos de criação. ArthurOmar, com fotos da série Antropologia da Face Gloriosa; Glauber Rocha, com o filme Idade da Terra (1978); documentos sobre a obra de Hélio Oiticica e sua relação com o carnaval; Lygia Pape, com o Super-8 Carnaval no Rio, eCao Guimarães e Rivane Neuenschwander, com o filme Quarta-Feira de Cinzas, estão no último bloco da exposição.

MARCHINHAS, FANTASIAS E ALEGORIAS

Carne Vale vai além das artes visuais. A exposição abre espaço para ícones e curiosidades do carnaval. Na exposição, o público ouvirá marchinhas de Chiquinha Gonzaga, Ary Barroso e Pixinguinha eternizadas nos bailes e blocos pelo Brasil, e poderá assistir um trecho do polêmico desfile Ratos e Urubus, Larguem a Minha Fantasia, idealizado porJoãosinho Trinta para o carnaval da Beija-Flor de Nilópolis de 1989.

Os visitantes também verão turbantes e sandálias plataforma que foram utilizados pela cantora e atriz Carmen Miranda, a coroa com que a passista Pinah desfilou no carnaval de 1978 e uma foto sua dançando com o Príncipe Charles neste mesmo ano, além de uma das luxuosas fantasias criadas por Maurício Pina, “figura carimbada” dos carnavais paulista e carioca.

A mostra, que tem projeto expográfico de Valdy Lopes Jn (diretor de arte de filmes como Cinema, Aspirinas e Urubus e Linha de Passe), traz ainda tapetes de serragem de festas religiosas confeccionados pela equipe da FAOP – Fundação de Arte de Ouro Preto, e cenografia criada pela designer Joana Lira para as festas de rua do carnaval de Recife.

SERVIÇO:

Exposição: Carne Vale – O Imaginário Carnavalesco na Cultura Brasileira
Período: de 27 de outubro de 2015 a 31 de janeiro de 2016
Horários: todos os dias, das 10h às 20h (entrada permitida até 19h40)
Local: Galeria de Arte do SESI-SP – Av. Paulista, 1.313 (em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)
Agendamentos escolares: (11) 3146-7396/3146-7439, de segunda à sexta, das 10h às 20h.
Telefone: (11) 3146-7401
Preço: Vá de Graça
Realização: SESI-SP

Gostou deste artigo? Deixe um comentário!