Casas literárias têm programação especial

0
82
Foto: André Hoff

Sessões de filmes de Renoir e Fritz Lang, bem como o show Sambas do Absurdo são os destaques da programação das Casas Literárias da cidade

A Casa Guilherme de Almeida e a Casa das Rosas, instituições da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo gerenciadas pela Poiesis, participam da Virada Cultural 2017, 13ª edição do maior evento cultural da cidade de São Paulo, com atrações especiais e gratuitas de música, literatura, cinema, circo e atividades para toda as idades nos dias 20 e 21 de maio. Na Casa Guilherme de Almeida, as atividades são voltadas para a sétima arte e celebram dois ícones do cinema: A Cadela, de Jean Renoir e Almas Perversas, refilmagem do longa de Renoir dirigido por Fritz Lang. As sessões acontecem no dia 20/5 às 14h30 em parceria com a Versátil Home Video.

Com uma programação mais eclética, além das exposições a Casa das Rosas promove diversas atividades, com destaque para as apresentações musicais do Sambas do Absurdo, trio composto por Juçara Marçal, Rodrigo Campos e Gui Amabis, no sábado às 22h e da Banda Bicho de pé no domingo às 14h. Veja a programação completa e a descrição das atividades abaixo:

CASA GUILHERME DE ALMEIDA

Sessão Versátil Especial | 20/5, sábado, a partir das 14h30

Especialmente para a Virada Cultural 2017, a Versátil Home Video promove, na Sala Cinematographos, um encontro com sessão dupla que visa homenagear dois ícones do cinema: Jean Renoir e Fritz Lang. Será exibido A Cadela (1931), filme de Renoir que, anos depois, foi refilmado por Lang e deu origem ao longa Almas Perversas (1945), também exibido no encontro.

 

CASA DAS ROSAS

Canta a poesia: coral da Casa das Rosas | 20/5, sábado às 18h

Direção musical: Adilson Rodrigues

A proposta do coral consiste na musicalização de poemas de autores brasileiros clássicos e de autores desconhecidos do grande público.

Canções, versões: show de Carlos Rennó | 20/5, sábado às 20h

Nesta aula-show, Rennó, um dos mais reconhecidos letristas da música brasileira, apresenta seu trabalho como versionista, além do clipe de sua nova canção Demarcação Já, uma parceria com Chico César gravada por diversos intérpretes em favor da demarcação das terras indígenas.

Sambas do absurdo: show do trio Gui Amabis, Juçara Marçal e Rodrigo Campos | 20/5, sábado às 22h

O Mito de Sísifo, de Albert Camus, serviu de inspiração para a criação de oito sambas, apresentados neste show. As músicas retratam o encontro com o Absurdo, descrito na obra de Camus, e rompem com alguns alicerces tradicionais do samba, proporcionando uma releitura obscura, dissolvida e vertiginosa do gênero. O trio apresenta também outras canções que versam com o tema do livro.

Flou! – Perfomance para crianças | 21/5, domingo às 10h30

Com Ieltxu Ortueta

Uma grande folha branca é a base para a criação coletiva de um desenho. Os conceitos de desenho aleatório, improviso e liberdade de criação, aliados à música, pensada em parceria com o artista multi-meios Gil Fuserr, tornam os rabiscos dançantes e vivos. O resultado final é uma enorme obra pintada a várias mãos.

O cordel clownesco do Romeu e da Julieta | 21/5, domingo às 12h

Com Cia. Caravanmaschera

Dois Clowns sem trabalho e famintos decidem encenar uma tragédia renomada para mudar de vida. Utilizando-se de elementos circences, truques de magia, música ao vivo e desafios de embolada contam a história de amor mais famosa da literatura: Romeu e Julieta. Adaptado para o sertão nordestino, o romance será encenado por meio do cordel e de elementos do teatro de bonecos.

Banda Bicho de pé | 21/5, domingo às 14h

Xote, baião, samba, forró, xaxado, maracatu, carimbó e arrastapé são os ritmos escolhidos pela banda Bicho de Pé, com 16 anos de carreira, para animar a programação da Virada Cultural.

Repentistas Amigos de SP | 21/5, domingo às 16h

Com Sebastião Marinho, Luzivan, Adão Fernandes e Matheus Ferreira.

Poesia e música reunidas em uma apresentação na qual duas duplas de repentistas disputam entre si para definir o cantador mais ágil na arte do improviso e na graça do embate de palavras.

Gostou deste artigo? Deixe um comentário!