Essa mulher só queria ir à escola, e quase foi morta por isso


Nossa personagem é mulher, é uma das mais importantes no memento histórico atual. Você é capaz de dizer o nome dela? Leia e concorra a um livro sobre ela.


Todos os anos quando a gente começa a preparar a redação para o Dia Internacional da Mulher, sempre nos vem à mente um ou outro nome. São mulheres importantíssimas para a história. São referências claras, umas mais midiáticas, outras menos. São importantes para as artes plásticas, para o esporte, para a ciência, para a aviação. Nomes como Frida Kahlo e Lina Bo Bardi, ou algo mais recente como a ilustre representante da música caipira, Inezita Barroso.

Neste ano, porém, a gente pensou em uma mulher que pudesse representar o Vá de Cultura, ou melhor, todas as leitoras do Vá de Cultura. Chegamos a uma. Uma mulher de tamanha importância, principalmente para o momento histórico atual.

Logo após definir a embaixadora, começamos a planejar como seria a nossa campanha para o Dia Internacional da Mulher. O que vamos fazer? Uma foto, um GIF animado? Um post de parabéns pelo dia oito? E chegamos à conclusão de que a grandeza dessa personagem eleita por nós era tamanha, que todos os nossos leitores deveriam ter a oportunidade de conhecê-la.

Então a campanha do Vá de Cultura para o Dia Internacional da Mulher começa aqui. Neste artigo vamos descrever nossa representante, mas não vamos dizer seu nome. Na foto do artigo, você verá sua silhueta, mas não terá uma imagem nítida a ponto de reconhecê-la de primeira. O desafio é justamente este. Descobrir de quem estamos falando e deixar um comentário com o seu palpite.

Todas as pessoas que acertarem concorrerão a um incrível livro que conta a história desta mulher. A campanha ficará em nosso Facebook durante a semana, e na sexta faremos o sorteio entre os participantes.

Quem é esta mulher?

Ativista pelo direito da mulher à educação, viu sua cidade ser invadida por radicais que tentavam restringir o acesso à informação e à educação. Em algumas regiões as mulheres passaram a ser impedidas de frequentar as escolas, e foi a partir desse ponto que nossa personagem ganhou voz e começou a falar, ou melhor, escrever.

Ela escreveu para a BBC, em um blog, usando um pseudônimo, contando seu cotidiano e as dificuldades que as mulheres vinham enfrentando na região em que vivia. No ano seguinte o The New York Times publicou um documentário contando este cotidiano. Ela tinha 12 anos e já era referência entre as mulheres de sua região.

Esta menina insistia em ir à escola. Ela não podia, mas não ligava. Ia. Até que um dia, dentro de um ônibus escolar, um homem a chamou pelo nome e lhe deu três tiros. Um deles na cabeça. Era um atentado à vontade de estudar. Aliás, aqui um parênteses. (Uma rotina que para nós parece ser tão simplória: Ir à escola, quase custou a vida dessa mulher). Quase, porque ela sobreviveu, e não se calou.

Ela foi à ONU, discursou e pediu acesso universal à educação. Foi eleita pela revista Time como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo. Com apenas 17 anos de idade, ganhou o Prêmio Nobel da Paz, tornando-se a pessoa mais jovem laureada com o Nobel.

Nota do Autor

Confesso que quando a gente aqui na redação decidiu que seria ela, foi como um turbilhão de sensações. Mas uma delas me tocou mais. A gratidão. Enquanto eu escrevia este artigo, ‘brincando’ com o fato de o ter que escrever sem citar o nome, foi emocionante. Cada linha que eu lia para pesquisar sobre a história dela, e pensava em como ia contar isso pra vocês, arrepiava. Quanto ao sentimento de gratidão que falei acima, este engloba diversas variáveis. Gratidão por viver no mesmo período histórico que ela. Gratidão por poder escrever sobre ela. Gratidão por saber que ela daria a vida pra que uma única pessoa pudesse ir à escola.

Regulamento do sorteio do livro

Vamos sortear um livro incrível, que conta a história dessa mulher. Você só precisa fazer o seguinte:

  1. Comenta o post oficial lá (que está aqui embaixo) com o nome da personagem
  2. Compartilha o post oficial
  3. Pronto! No final do dia vamos sortear o livro entre as respostas corretas

Post Oficial


Gostou do artigo? Então deixe um comentário!