Artistas vão às ruas contra congelamento de verbas para cultura em SP


A classe artística luta pelo descongelamento de quase metade da verba destinada à cultura na cidade de São Paulo, segundo anúncio da Secretaria de Cultura


Após anúncio do corte de 43,5% da verba da cultura para 2017 na cidade de São Paulo, artistas e culturalistas se reuniram no Centro de São Paulo para um protesto. A manifestação começou por volta das 15h desta segunda, 27 de março, e uma multidão se reuniu em frente ao Theatro Municipal.

Em janeiro, a gestão de João Dória (PSDB), anunciou o corte de quase metade dos investimentos para projetos culturais. Até o último ano, a verba destinada à pasta da Secretaria de Cultura era de R$ 450 milhões de reais, equivalente a 0,9% do orçamento da prefeitura, sendo que metade deste valor é destinado aos custos administrativos da Secretaria de Cultura.

Protesto de artistas em frente ao Theatro Municipal de São Paulo (Foto: Dario Oliveira/Estadão Conteúdo)

Um vídeo divulgado no início da semana pelo Grupo Esparrama, companhia de teatro responsável pelas apresentações teatrais gratuitas realizadas nas janelas de um prédio no Minhocão, mostra uma multidão de pessoas pedindo à prefeitura que repense o congelamento da verba. A campanha também segue pelas redes sociais, com o uso da hashtag #descongelaculturajá.

Um corte educacional

Com o corte, programas como teatro, circo e apresentações musicais ficam comprometidos, além de programas educacionais como o Vocacional, que atendia mais de 8 mil crianças e adolescentes na cidade de São Paulo. Mais de trezentos educadores ligados ao programa Vocacional, que esteve em atividade há 12 anos, foram desligados de suas funções.

Falta de Diálogo

O músico Tomás Bastos reclama da falta de diálogo da prefeitura. Segundo ele, as convocações para reuniões com a classe artística são arbitrárias, e ficam restritas aos informes de que o congelamento da verba para cultura irá continuar.

A prefeitura demonstra uma total fala de diálogo com os artistas. Até convocam reuniões com as categorias, mas para informar que não vão descongelar”, disse Bastos em entrevista ao portal G1.

Segundo Rudifran Pompeu, Presidente da Cooperativa Paulista de Teatro, e um dos organizadores da manifestação de hoje, as verbas destinadas à cultura já são as menores entre todas as pastas. Pensando no âmbito educacional, e nas políticas públicas trabalhadas na área, um corte dessa proporção seria muito prejudicial.

Mas e o que já estava aprovado?

Outra preocupação apontada pelos artistas é o fato de que algumas das iniciativas e programas culturais estariam amparados por leis aprovadas na Câmara, e qual seria o amparo legal em relação a isso.

A Secretaria da Cultura disse que já liberou parte do investimento que estava congelado, mas que será improvável aumentar mais o investimento neste ano. Uma nota oficial disponível para consulta no site da Secretaria Municipal de Cultura informa que um equivoco cometido no último ano, durante a gestão de Fernando Haddad, contribuiu para o congelamento.

E você leitor do Vá de Cultura? O que acha da medida da Prefeitura em relação ao congelamento de verbas para projetos e programas culturais na cidade de São Paulo? Deixe sua opinião nos comentários, e não se esqueça de curtir a página do Vá de Cultura no Facebook, e interagir com a gente usando a hashtag #vádecultura em suas redes sociais.


Gostou do artigo? Então deixe um comentário!