Casa das Rosas realiza batalha com surdos e ouvintes

0
33
Em 2016, a dupla representante do Slam do Corpo ficou em 3º lugar no SlamBR | Foto: divulgação
Duplas de poetas, um surdo e um ouvinte, criam e apresentam textos nas duas línguas simultaneamente | Foto: divulgação

Com o objetivo de promover um encontro entre línguas, a Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos, instituição da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciada pela Poiesis, promove o Slam do Corpo, primeira batalha de poesia com surdos e ouvintes organizado pelo coletivo Corposinalizante. O encontro é gratuito e acontece dia 13 de maio, sábado às 19h.

O Slam do Corpo é um projeto que reúne a experiência de três coletivos sobre poesia, cidade e performance: Corposinalizante, grupo que estuda relações entre a Língua Brasileira de Sinais e poesia, ZAP!SLAM, primeiro slam de São Paulo, coordenado pelo Núcleo Bartolomeu de Depoimentos e Sarau do Burro, um espaço diverso coordenado pelo artista e poeta Daniel Minchoni.  “Toda apresentação é feita por duplas de poetas – um surdo e um ouvinte – que criam e apresentam textos nas duas línguas simultaneamente [LIBRAS e português]. Na performance, às vezes as línguas se diferenciam, cada uma acontece em sua gramática própria, mas em outras vezes, se entrecruzam, e quando isso acontece chamamos Beijo de línguas”, conta Cibele Lucena, coordenadora do coletivo Corposinalizante e do Slam do Corpo.

 

 

Todo slam é um campeonato. Cada slam independente realiza algumas batalhas ao longo do ano, e em cada uma delas há um vencedor. Ao final da temporada esses poetas disputam entre si a vaga para representar o respectivo grupo no SlamBR, evento nacional e anual do qual participam os vencedores do slams espalhados pelo país. O poeta vencedor representa o Brasil na Coupe du Mounde de Poesie Slam (Copa do Mundo de Slam) que acontece anualmente, em Paris, na França. Em 2016, a dupla representante do Slam do Corpo ficou em 3º lugar no SlamBR.

Gostou deste artigo? Deixe um comentário!