Megaexposição retrata a relação do samba com os trabalhadores em SP

0
23
Foto do cantor e Jorge Aragão

A mostra Os Trabalhadores e os 100 Anos do Samba apresenta fotos de grandes nomes do ritmo, e faz uma homenagem aos trabalhadores, em 30 painéis espalhados por quase 1 km da Paulista

Este ano nosso país comemora o centenário do Samba, e no próximo domingo, dia 1º de maio, comemora-se também o Dia Internacional do Trabalhador, ou Dia do Trabalho. Para comemorar essas datas tão especiais, a UGT, União Geral dos Trabalhadores, organizou uma megaexposição na Avenida Paulista. A mostra fotográfica serve como homenagem ao ritmo e também aos trabalhadores, e ficará disponível para apreciação no decorrer do mês de maio.

Detalhes da Exposição

Alocada na Avenida Paulista, considerada o coração de São Paulo, a mostra Os Trabalhadores e os 100 Anos do Samba contará com 30 painéis enormes, de 4 metros de altura cada, com fotografias de ícones do samba, e também de alguns momentos históricos em que o ritmo ajudou a traçar os caminhos do trabalhador brasileiro.

A exposição se estenderá por quase 1km da via, com início em frente à Caixa Econômica Federal, próxima a Rua Augusta até a Pamplona. Nomes como Donga, Pixinguinha, Clementina de Jesus, Cartola, Noel Rosa, Chico Buarque e outros, ilustram as grandes telas. A exposição já começou a ser montada, e as telas já estão posicionadas, mas ainda estão cobertas. Se você ficou curioso para conhecer esse trabalho é só dar uma passada pela Avenida Paulista no domingo.

Ouça a Matéria

O Samba e o Trabalhador

O samba está intimamente ligado aos trabalhadores, afinal as rodas de samba eram realizadas depois de um dia cansativo de trabalho ou, segundo alguns historiadores, como uma forma de criticar o mundo burguês capitalista e mostrar a realidade do trabalho assalariado. É essa a intenção da exposição fotográfica a céu aberto: não só retratar os ícones do samba, mas também mostrar como o trabalhador era retratado nas canções.

“O samba não é só uma manifestação cultural, mas também um símbolo de luta e inclusão social. Pensamos em uma exposição em que o trabalhador se visse parte dela, se identificasse. Vários sambistas, antes de tudo, em sua maioria, eram trabalhadores: Cartola trabalhou como lavador de carros, Adoniran foi entregador de marmitas e por aí vai. E o palco de tudo isso será, mais uma vez, a Avenida Paulista. Esta é, certamente, uma das maiores exposições do mundo”, revela o presidente do Sindicato dos Comerciários de São Paulo e da União geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah.

Os 100 anos do samba

Como definir um início para um estilo musical tão importante e repleto de referências e influência de outros cantos? Em novembro de 1916, o compositor Donga, marcou seu nome na história e na música brasileira: registrou na Biblioteca Nacional a partitura da canção Pelo Telefone, que havia sido composta em uma roda de músicos num terreiro de candomblé. Assim, ele foi considerado o primeiro samba da história, e esta é a data considerada o marco para a contagem.

Os 30 enormes painéis que contarão essa história estarão na Avenida Paulista à partir do dia 1º de maio. A megaexposição, a céu aberto, Os Trabalhadores e Os 100 Anos do Samba, conta com a curadoria e a edição de imagens da DOC galeria, e a pesquisa da mostra ficou por conta do jornalista Celso de Campos Jr. Além de ser uma excelente opção de passeio para o domingo, a exposição é gratuita. Ah! Se você passar por lá faça um post usando a hashtag #ugt100anosdosamba.

Os Trabalhadores e os 100 Anos do Samba
Quando: 1º a 30 de maio
Onde: Avenida Paulista
Ingressos: #Vá de Graça

Gostou deste artigo? Deixe um comentário!