Três longas do diretor Murilo Salles estreiam hoje nos cinemas de São Paulo

0
18

A ação faz parte do projeto 3xMurilloSalles, que lança três longas inéditos do diretor em São Paulo.

Estrelada por Pedro Brício e Marco Ricca, a ficção que aborda as relações entre política, imprensa, corrupção e poder em Brasília, O Fim e os Meios; e os documentários sobre personagens singulares e marginais da indústria cultural brasileira, Aprendi a Jogar com Você e Passarinho Lá de Nova Iorque que, estreando juntos, vão proporcionar uma interação criativa de três reflexões sobre o Brasil.

Apesar de retratos singulares os filmes se comunicam, interagindo e fazendo conexões um com o outro, proporcionando uma rica sinergia onde quem sai ganhando é o espectador. O que une o cineasta Cícero Filho, personagem de ‘Passarinho Lá de Nova Iorque‘, ao DJ Duda de ‘Aprendi a Jogar com Você‘ e a Paulo Henrique, publicitário de ‘O Fim e os Meios‘? São personagens que buscam afirmação social e profissional, mas as dificuldades no dia a dia dessa jornada e da realidade social e política brasileira acabam por levá-los, cada um a seu modo, a entrar em crise com a realidade que os cerca.

Aprendi a Jogar com Você é um filme sobre o empenho do DJ Duda e da cantora Milka Reis para realizar o sonho de fazer estourar uma música. Seguimos a rotina dessa do casal em Samambaia, cidade satélite de Brasília, que, para dar conta de se manterem como artistas, se desdobram em vários expedientes. O que salta à tela é a performance de um saber bem brasileiro, o jeitinho, onde a capacidade de se virar é lei. | Prêmio de Melhor Montagem – Festival de Paulínia.

No filme O Fim e Os Meios, Cris e Paulo vão para Brasília em busca de novos desafios profissionais. Ela é jornalista, quer cobrir o Congresso Nacional, ele, publicitário, vai comandar a campanha eleitoral de um Senador da República. Os dois acabam se envolvendo num jogo de interesses e desejos onde mídia e política se confundem. As raízes do Brasil se expõem através dos sentimentos daqueles que vivem no furacão do poder. | Troféu Redentor de Melhor Roteiro – Festival do Rio.

O documentário Passarinho Lá de Nova Iorque acompanha o cineasta Cícero Filho em sua saga para refazer uma cena de seu longa Flor de Maio. Em Poção de Pedras, interior do Maranhão, Cícero pode encontrar inúmeras dificuldades, mas não perde sua obstinação, criando famílias afetivas por onde passa, como forma de sustentação do seu processo criativo. | Seleção Oficial da Mostra Autores do Festival de Tiradentes.

Sobre o diretor Murilo Salles

Murilo Salles estreou na direção com o documentário Essas são as Armas, em 1978, Pomba de Prata do Festival de Leipzig na Alemanha. Com sua primeira ficção, Nunca Fomos Tão Felizes, ganhou o Leopardo de Bronze do Festival de Locarno na Suíça, e Melhor Filme no Festival de Brasília em 1984. Cinco anos depois, dirigiu Faca de Dois Gumes, prêmio de melhor diretor do Festival de Gramado de 1989. Em 1994, dirigiu o documentário Oficial da FIFA sobre a copa de Mundo, Todos os Corações do Mundo. Em 1996, volta a ficção com Como Nascem os Anjos, Prêmio de Melhor Direção do Festival de Gramado. Com Seja o que Deus Quiser!, foi o vencedor do Festival do Rio de 2002. Em 2003, realizou o documentário És Tu, Brasil, e o seu quinto longa de ficção, Nome Próprio, de 2008, ganhou o prêmio de Melhor Filme do Festival de Gramado.

Gostou deste artigo? Deixe um comentário!