Filme nacional premiado, A Bruta Flor do Querer, chega aos cinemas


Dirigido por Andradina Azevedo e Dida Andrade, A Bruta Flor do Querer venceu os prêmios de melhor direção e melhor fotografia em Gramado


cena do filme a Bruta Flor do Querer

Dirigido por Andradina Azevedo e Dida Andrade, A Bruta Flor do Querer venceu os prêmios de melhor direção e melhor fotografia em Gramado

Mais uma produção nacional chega aos cinemas, e neste caso, com toda a pompa que lhe é de direito, após vencer dois prêmios no festival de cinema de Gramado. O longa A Bruta Flor do Querer, dirigido por Andradina Azevedo e Dida Andrade, estreou nas telonas na última quinta, dia 7 de abril.

Forte ousado e realista, assim descrito pela crítica, A Bruta Flor do Querer narra os dilemas de um jovem formado em cinema, bem sucedido em suas produções de curta metragem, mas que sonha em produzir um longa. O filme acompanha as expectativas e frustações profissionais do aspirante a cineasta, que ainda tem que lidar com a sua timidez no campo afetivo.

A trilha sonora o filme é composta por clássicos da música brasileira, pontualmente posicionados na trama, causando um impacto à percepção do espectador em algumas horas. A canção Baby, interpretada por Gal Costa, e 20 anos Blues, cantada por Elis Regina são algumas das músicas escolhidas para ilustrar o enredo. A gravação da trilha original, de Arthur Decloedt, teve a participação dos músicos Tim Bernardes e Gabriel Basile, da banda O Terno.

Opinião da Crítica

Logo que entrou no circuito o A Bruta Flor do Querer já arrancou opiniões dos críticos de cinema. “Tocaram fogo na caretice do cinema brasileiro”, disse Fernando Meireles. Cacá Diegues se referiu ao filme como um “Registro de nossas almas diante do estado do mundo”, e o jornal O Globo se referiu à produção como um “Retrato nu e selvagem da juventude”.

Sinopse

O filme conta a história de Diego (Dida Andrade), um jovem recém-formado em cinema, que após algumas glórias durante a faculdade, se vê filmando casamentos e fazendo pequenos bicos para sobreviver. Diego se apaixona platonicamente por Diana, uma garota que trabalha numa livraria, mas ele não tem coragem de falar com ela. Ao longo do filme, Diego enfrenta uma crise profunda causada pelos fantasmas da sua vida profissional e amorosa, enquanto tenta fazer seu primeiro longa-metragem.

Os jovens diretores premiados

Os diretores de A Bruta Flor do Querer, Andradina Azevedo e Dida Andrade, se formaram em cinema pela FAAP em 2009 e juntos produziram e dirigiram três curtas-metragens, conquistando diversos prêmios, como de melhor vídeo, atriz e curta universitário, no 16° Gramado Cine Vídeo; melhor filme e direção no 16° Festival Mix Brasil e melhor filme no 4º Festival da Chapada dos Guimarães, com a produção Para Que Me Ames (2008).

Os dois venceram também os prêmios de melhor direção de fotografia e direção de arte no 18° Festival MIX Brasil; menção honrosa no FBCU: Festival Brasileiro de Cinema Universitário e seleção oficial do 33° Festival de Havana, com o filme O Capitão Chamava Carlos (2010).

Em 2012, o longa A Triste História De Kid-Punhetinha foi selecionado para o 16° Festival Santa Maria de Feira, Portugal, e para o 40° Festival de Cinema de Gramado. O filme foi vencedor do prêmio de melhor curta universitário no Cinefestivale Jaguaribe.

E você leitor, ficou curioso para assistir ao filme A Bruta Flor do Querer? Dê uma olhada no trailer do filme, que o Vá de Cultura separou abaixo:


Gostou do artigo? Então deixe um comentário!