Vá de Cultura
Publicidade

AI-5 é lembrado em exposição em São Paulo

O período tão importante e tão obscuro do passado do nosso país que é a ditadura militar, é lembrado nesta exposição exclusiva do Instituto Tomie Ohtake

Publicidade

AI-5 50 ANOS – Ainda não terminou de acabar

Preço: Gratuito
Data: 04/set - 04/nov
Horário: Terça-Feira a domingo das 11h às 20h

Instituto Tomie Ohtake
Rua Coropé, 88 - Pinheiros, São Paulo - SP
Transporte público:
| como chegar | confirmar presença |

O Instituto Tomie Ohtake anuncia para 4 de setembro a exposição “AI-5 50 ANOS – Ainda não terminou de acabar” que relembra a época da ditadura militar no Brasil.

Em destaque no nome da exposição, o AI-5 se tornou a maior representação de repressão durante o período militar. As medidas do ato inconstitucional n° 5 decretava coisas como o recesso do Congresso Nacional, das Assembleias Legislativas e das Câmaras de Vereadores, permitindo assim que o Presidente da República pudesse decretar intervenção nos estados e municípios sem limitações constitucionais, além de permitir que os militares perseguissem, prendessem e torturassem milhares de pessoas, levando a óbito centenas, dentre elas, algumas cujos corpos até hoje não foram encontrados.

Este período tão importante e tão obscuro do passado do nosso país é lembrado nesta exposição exclusiva do Instituto Tomie Ohtake, que dividiu o período militar dentro da exposição em seis núcleos: Censura no período da ditadura civil-militar frente a frente com a emergência da ideia de “opinião” na produção artística; Criminalização da própria opinião após o AI-5 e transformação das tendências artísticas; Produção da chamada “geração de guerrilha”, que ganhou espaço na arte brasileira entre 1969 e 1970; Arte na década de 70 e recursos de busca de liberdade e crítica em um país autoritário; Críticas ao desenvolvimentismo do ideal de país promovido pela ditadura; Reflexão sobre a crise institucional que alcançou o processo de “abertura democrática”.

A exposição conta com depoimentos de artistas como Gilberto Gil, obras e livros de Claudia Andujar além de filmes de José Agrippino de Paula e Ivan Cardoso.

Paula Prata

Estudante de comunicação social com foco em Jornalismo, redatora, apaixonada por musicais, teatro, música, cinema, TV e cultura pop em geral.

Publicidade
Publicidade
/* ]]> */